A Epicondilite Medial caracteriza pelo processo inflamatório e degenerativo da origem dos tendões flexores do punho e dedos.

Na verdade, essa inflamação é um pouco diferente: o que ocorre é a degeneração das fibras de colágeno presente nos tendões, chamada de tendinose.

A Epicondilite Medial caracteriza pelo processo inflamatório e degenerativo da origem dos tendões flexores do punho e dedos.

Na verdade, essa inflamação é um pouco diferente: o que ocorre é a degeneração das fibras de colágeno presente nos tendões, chamada de tendinose.

Sabe-se que ela é causada pela sobrecarga na origem dos tendões flexores do punho e dedos; significa que a agressão causada pela sobrecarga foi maior que a capacidade de cicatrização dos tendões.

Atividades repetitivas com punho e antebraço podem levar à doença. Um evento único traumático também pode gerar a epicondilite.

Dor na parte medial (ou interna) do cotovelo que pode irradiar para o antebraço, mas tem seu ponto mais doloroso próximo a uma proeminência óssea medial do cotovelo (epicondilo medial).

É comum o paciente sentir dor num aperto de mão, no ato de abrir a maçaneta da porta ou mesmo segurar uma xícara. Normalmente, não ocorre perda de movimentação do cotovelo.

A neuropatia do nervo ulnar no cotovelo pode estar associada à epicondilite medial ou ser um diagnóstico diferencial.

História clínica detalhada e exame ortopédico detalhado; exames de imagem como radiografias, Ultra-som e Ressonância magnética podem ser solicitados quando há dúvida diagnóstica e para afastar lesões associadas.

O tratamento é basicamente Conservador (não cirúrgico); grande maioria dos pacientes melhoram sem a necessidade de cirurgia.

São várias as medidas: Repouso e evitar atividades que causam dor, Gelo, Anti-inflamtótios, Fisioterapia, Infiltração de corticóide em alguns casos, Órtese e melhora da Ergonomia no trabalho.

Na cirurgia, que pode ser realizada por via aberta ou por artroscopia, é realizada uma limpeza da área do tendão no epicondilo, chamada de desbridamento.

Nos casos em que há alguma alteração do nervo ulnar, o mesmo deve ser tratado. Um dos procedimentos é a Descompressão do túnel cubital; o outro é Transposição do nervo ulnar para uma região mais anterior.

Lembre-se, se você tiver alguma dúvida, ou está com algum problema ortopédico, sinta-se a vontade para entrar em contato, o Dr. Romário terá prazer em esclarecê-la.

AGENDE SUA CONSULTA